Os dois lados da moeda

Pelé do Manifesto

0
tamanho da letra A+ A-
Por mais amor assim a minha vida vai seguindo
Pai me livra dos falsos quem vem sorrindo
E apertam minha mão me chamam até de irmão
Se eu vacilar pra eles levam até minha razão
Os valores se inverteram na era consumista
Ensinam desde cedo a ser podre e individualista
Ninguém olha no olho ninguém liga pra dor
Só enxergam os perfis na tela do computador
Tanta morte no asfalto tanta morte nas favela
Tantos se matam aos poucos com cachimbo nas viela
E a palavra ?eu te amo? se tornou tão banal
Pois relacionamento hoje é tão superficial
Parece um teatro é tudo tão forçado
Essa porra me afeta e me deixa mais revoltado
E eu peço mais amor pros parceiros de rua
Esquece o brilho do Iphone olha o brilho da lua
Pois pra mim você vale o que sente não o que tem
Roupa cara nunca mostrou caráter de ninguém
Somos todos reféns hora da libertação
Menos dor mais amor menos circo mais pão
Também quero progresso pro povo minha família
Quero revolução mas dessa vez é sem guerrilha
Revolução sonora o momento é agora
tá na hora de tomar o açoite de quem nos explora
Depois da escravidão e depois da ditadura
A gente padecendo e eles lá só na fartura
O mundão virou uma guerra sabe como é que é
Uns falavam de missão e hoje falam de mulher
De festa de carro de bunda rebolando
Alguns vão se perdendo enquanto vão caminhando
E eu aqui firme e forte lutando sem parar
Quantas vidas se perdem se no fim nós fraquejar
Tantos irmãos dependem do que a gente põe nas linha
Agora entendeu que essa batalha não é só minha
A responsa do mundão tá no mic em nossa mão
Sempre com a filosofia de manter os pés no chão
Minha missão é esclarecer não vou retroceder
Nem canta o que eu não vivo pra tentar vender CD
E cada 10 nas redação não se compara a emoção
De mandar um som no palco e emocionar cada irmão
Não vale levantar a mão se o coração não sentiu
Hoje os baile tão lotado mas os rap tão vazio
Uns dizem que virou moda outros que virou negócio
Ninguém tem mais parceiro hoje em dia é tudo sócio
Os ego tão inflado os falso camuflado
E tão se multiplicando no meio dos aliado
Hoje tudo tá mudado trocado infelizmente
Que a culpa eu já nem sei se é da maçã ou da serpente
Ainda ouço Racionais escuto sabotagem
Pois pra rap sempre vai ser música de mensagem
Alguns vão pelo lucro outros vão pela glória
Eu vim pelo amor e tô aqui fazendo história
O mundo é frio é mal
A escuridão só acentua a dor
A gente canta a gente vive a gente briga a gente luta
Porque as ruas pedem mais amor
Se a vida desandar a gente mantém a fé
Se um dia eu fraquejar luto pra ficar de pé
A vida não tá fácil eu sei cada guerreiro
Acorda 6 da manhã trampando o ano inteiro
Parceiro tamu junto é nós na caminhada
Profissão MC mesmo sem carteira assinada
E sempre vão falar mal de quem corre pelo certo
Lembra do ditado o mundo é dos esperto
A maldade tá de quilo no coração humano
Os preto hoje em dia não passa dos vinte ano
Os irmão vão se matando vejo as mãe chorando
Progresso onde porra vocês só pode tá brincando
Escravidão acabou mas miséria continua
E nós sente o gosto amargo da realidade crua
No último banco do buso neguinho tá confuso
Na era capitalista se sente como um intruso
Vou de cabeça baixa ouvindo faixa por faixa
Fazendo um improviso e vendo se a base encaixa
E assim surge um rap pra soltar entre os moleque
Mexendo mais a mente e não a bunda em baile Black
E as pedra no caminho uns vão chutar outros fumar
E vender tudo que a mãe deles conseguiu comprar
É foda ver os mano se perder nessa jornada
E quem governa tá pouco se lixando pras quebrada
Cadê o compromisso cadê os militantes
tá faltando os rap ser politizado como antes
Hoje tudo é sacanagem os som fala de sexo
E as prioridade hoje tão tudo sem nexo
Não vi cantar por grana nesse corre não me vejo
Se fosse pela fama nós cantava sertanejo
Rap é som de mensagem música de protesto
Eles cantam palhaçada? nós fode todo resto
Não se esqueça até no lixão nasce rosa
Quem for podre que se quebre tô igual Joaquim Barbosa
Rap universitário é pra moleque de prédio
De onde eu vim os mano mal cursou o ensino médio
É isso que me revolta parceiro isso que dói
Quem devia ser pedrada tá fazendo som pra boy
Mas os mano tão lutando os verdadeiro não se entrega
Contra a revolução que esses falso tanto prega
Vejo os boy de aba reta ouvindo uns som miado
Balançando a cabeça e fingindo que é favelado
Não é boné nem roupa muito menos aparência
Tão falando de rap sem entender a essência
Saudade dos som que relatava a realidade
Os pela não entende o que é rap de verdade
E vão chamando de família o que eu chamo de panela
Pra mim rap sempre vai ser som da favela
Vão pregar revolução vão cantando ilusão
Pior é quem abraça a mentira dos vacilão
Que vão pedindo drink enquanto a gente pede amor
Eles vem pra enriquecer nós vem pra amenizar a dor
O mundo é frio é mal
A escuridão só acentua a dor
A gente canta a gente vive a gente briga a gente luta
Porque as ruas pedem mais amor

Gênero da música

Esta música pertence a quais gêneros? Insira ou exclua abaixo aqueles que representam melhor esta versão. Você pode relacionar até 6 gêneros a uma música.

Veja mais Pelé do Manifesto

Rádio do Artista

    Vamos afinar o Música?

    Estamos procurando a batida perfeita, ajude-nos a fazer o Música melhor pra você.

    Participe Agora não