Débora e Jael

Gerson Rufino

Débora saiu, saiu para julgar
Mas naquele dia aquela judia
Iria viver algo bem singular
No meio do povo estava barac
Ela lhe mandou ordenar o ataque
Pra livrar o povo do rei cananeu
Que estava oprimindo o povo hebreu
Barac então lhe impõe condição
Eu vou mas você tem que vir a peleja
Pra que meu exército de perto veja Deus contigo é
Ela respondeu Deus garante vitória
Barac você não ficará com glória
O seu inimigo vai ser abatido por uma mulher

E assim o Senhor trovejou
E fez cair no vale as torrentes do céu
E os carros de ferro atolaram
Ficando a merce de israel
O povo lutou, derrotou o inimigo
E seu capitão ao fugir do perigo
Entrou numa tenda de uma mulher
O seu nome é Jael
* ele lhe pede água,
E ela então lhe oferece leite
Para seu deleite um descanso de guerra
Deitado em terra ele põe se a dormir
Devagar ela pega uma estaca
E na fronte lhe enterra
E mostra a barac seu troféu de guerra
O seu inimigo está morto aqui

Essas duas mulheres provam que a bíblia não tem preconceito
Quando a gente se entrega ele da um jeito
Não importa se é homem, criança ou mulher
Essas duas mulheres provam que fragilidade é arma pra Deus
Quando o inimigo pensa que ele já venceu
Com certeza é abatido pela nossa fé...

Gênero da música

Esta música pertence a quais gêneros? Insira ou exclua abaixo aqueles que representam melhor esta versão. Você pode relacionar até 6 gêneros a uma música.

Veja mais Gerson Rufino

Rádio do Artista

    Vamos afinar o Música?

    Estamos procurando a batida perfeita, ajude-nos a fazer o Música melhor pra você.

    Participe Agora não