Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz Esteja em Paz

Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz

O palco de guerra, miséria, o medo impera
O resumo submisso onde não existem regras
Habitado por um povo que tira de letra
Com muito orgulho sou um filho da periferia não se esqueça
Aqui os privilégios sempre foram limitados
Simplicidade é o dilema a qual fui educado
Aos poucos vou compreendendo a ideologia, incentivo ocultado
Aprendizado escasso
A moradia é sem luxo, a casa é bem humilde
O rapaz é abalado com o divórcio dos seus pais
E como herança a família o deseja um berço hereditário
Chamado honestidade mas pelo contrário
Os sonhos que se destaca na vida
Predominava não era simples ambição
Era necessidade
Dinheiro, carro e uma bela casa
Status financeiro respeitado na comunidade
Gírias de ladrão, mano, tretas do mundão
Proceder malicioso já frequentava a função
Não tinha tempo nem cabeça pra escola
O pensamento paga-pau do mal
E muita premissão
É foda
O bê-a-bá do crime e as leis do cão
Lição da rua, um sistema intransigente
Praticamente iniciava sua auto-destruição
Um passaporte para o inferno
Eu vi o seu começo, eu me lembro desta época
Derivados de tal moda, boné e bicicleta
Altas motos na sequencia, profissional eficiente
Um cinco cinco cinco sete quadro competente
Apetitoso não subestimava
Queria ser o mais periculoso da quebrada
Tantos pecados a serem pagos
Tamanha penitêcia
Recanto obscuro de uma existência

Esteja em paz a onde estiver
Esteja em Paz Esteja em Paz

Esteja em paz a onde estiver
Esteja em Paz

Durante muito tempo
Problemas rotineiros
A polícia no encalço, já não tinha mais sossego
O PM lá da área era seu espinho
O desafio, a crocodilagem no caminho
De certa forma se tornava um alvo imobilizado
Na cabreiragem um refúgio intocado
Na malandragem uma entrada comemorativa
Infelizmente um labirinto sem saída
Por vingança se tornou um homicida
Não suportou a ver seu mano ser covardemente assassinado
Justiça feita tendo acertado
Mas no desejo descobriu que era capaz de matar
Eu tô ligado e mataria novamente se fosse preciso
Bicho solto, instinto de matador
Encomendou a sua alma e não se arrependia disso
Sangue frio
Sem remorso, paga-pau do horror HA
Inicia a sua vida criminal
A sombra da maldade a curto prazo pode ser fatal
E não temia o versículo mais conhecido
Quem fere com ferro, com ferro será ferido
Pela primeira vez encarcerou na Detenção
Altos meses na FEBEM, que perrerrão
O ódio alimentava sua ilusão
Não se arrependeu de seus pecados
Por outro lado
Quando sua liberdade foi cantada
A ganância já o controlava ai
É tudo ou nada!
Suas palavras francamente me espantavam
Conselhos positivos não adiatavam
Foi aí que se trutou e afundou na ignorância
Comércio ilegal, falsa esperança
O tráfico de drogas realizaria os seus sonhos de criança
(Não, não, não, não)

Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz Esteja em Paz

Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz

Só cessão de dias, meses
imita-se o cenário
Destaque no comércio
Fazia mó sucesso
A freguesia, aglomeração de usuários
Hã, dia e noite o consumo é fora do sério
Fundo do poço, viciados na destruição
A consciência tá tranquila mano sangue bom!
Periferia o baralho ponto a cima
O crack é o rei, a cocaína é a rainha
Adivinha queria pouco mas era ambicioso
Não se contentava com o que já tinha, eu via
Nos seus olhos refletia um brilho insaciável
Insatisteito a permanência inevitável
Viver a vida inteira atrás de correria
Facilmente a previsão de um destino pertubado
Limitado, escravo de uma teoria irredutível
Seu pensamento já estava irreconhecível
Em pouco tempo o mano já estava montado
Ele fez a sua cara, andava bem armado
Grossos calibres
Automática e matraca aliados
Por todo lado considerado
Muito dinheiro o ano inteiro vejam só
Os seus bens conquistados as custa de casqueioros
Talvez oudado a subestimar a competição
Uma pá de cara crescia o olho então
Entrou em guerra com a concorrência, com várias bocadas
Queria mesmo a total domínio da quebrada
Várias rajadas na mira do inimigo
Não há saída desse labirinto
Estava escrito
Quem tá dentro não sai e um dia a casa cai
Te digo mais por ferro em brasa, a hora da verdade
No pé da letra a culpabilidade ou a inocência
Recanto obscuro de uma existência

Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz Esteja em Paz

Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz

Recanto obscuro, liberdade contestada
Quem lhe garante a existência prolongada?
Futuro inseguro que irá acontecer
Preceito principal da lei do cão
Matar pra não morrer
Trocou bala com espinho eu sei que é embassado
Não foi ao chão alvo mal direcionado
O PM escamoso ascendeu pesando a sua
Recompensa vivo ou morto
Filhos da puta a procura
Desnorteado desorientado
O pensamento tão confuso
Indeciso, coragem e medo
Resumo de uma vida sem sossego
O crime financia o seu sonho
Depois cobra um alto preço
Ele ligou numa qual foi a razão
Me diga
Se estava em ascensão nada justifica aí
Tempo esgotado teoria irrevogável
Segundos que não voltam, foi precipitado
E pra tomado de assalto viaturas acionadas
Enquadro inevitável
A fuga já tá dominada
GPPE a sigla cerco para todo lado
Tribunal fatal já tô ligado
Depoimento a mídia
A polícia alega auto-defesa
Pretexto julgado e condenado ali mesmo
Sem testemunho a crocodilagem
Revolta a Zona Norte
Setenciado a pena de morte

Infelizmente extrema face de um sistema injusto
No peito eu sinto um odio eu vejo a função de luto
Família destruída exemplo de um final maldito
Não estou surpreso, é rotineiro, é queima de arquivo
Que sirva de lição aos que restaram
Impunidade, fatalidade, dramaticidade mas
Deus é meu testemunho, é juiz desse processo
É a ele que eu peço justiça e paz

Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz Esteja em Paz

Esteja em paz aonde estiver
Esteja em Paz "

Gênero da música

Esta música pertence a quais gêneros? Insira ou exclua abaixo aqueles que representam melhor esta versão. Você pode relacionar até 6 gêneros a uma música.

Veja mais Consciência X Atual

Rádio do Artista

    Vamos afinar o Música?

    Estamos procurando a batida perfeita, ajude-nos a fazer o Música melhor pra você.

    Participe Agora não