Babilonia

Ao Cubo

Repercussão vai pra ladrão, e pra puta de estrada quem
adere á iniquidade,entra no clic no clic vai pro fio
da navalha.
Locomotiva do imperio vem a todo gás fazendo a linha
de frente a quem desanda demais, não teme as leis do
homem só a fúria do pai, que pelo visto se aproxima
cada vez mais,se não deu pra entender virou cinema a
você em conposto do bem, não temos tempo pra escolher
esta cronometrado, ponteiro acelerado, os prazeres da
vida, ai tá tudo errado.
No tic tac do tempo sai do fuso horário, mano mano axé
vai mandando uma prece pros manos que acordados ao
mesmo tempo adormece.
Na boca do patrão, na boca do canhão, o mano vai pra
esquina o mano vai pro escadão, passa preda passa lá,
tem mano que depressão, pedrera mata mago e a pedra
mata o irmão.
Todo mundo tem não esta nada bem, se sinagoga de hoje
lembra jerusalém, esta prestes o fim babilônia. amèm
Refrão: babilônia (4x)
O pesadelo fracionario fez exorcizar, um pesadelo no
ar, um pesadelo no ar, meu povo pare, tente amenizar,
ainda há tempo pra se salvar.
Não importa o estágio da sua fama do ladrão de banco
ou puta leviana vale dez por dia pode ir com 10 pra
cama em troca do prazer...
O que,que há, o que é que há, o que é que há zum zum
no jaraguá no morro na sede não mistura pra azedar,
passado é passado deixa pra lá, mais uma vez qual
é"mão na cabeça zé"
Essa é a justiça do homem que impõe o gambé, em um
segundo, um minuto, uma hora, irá mudar o pensamento o
cronograma da história, pra não se deitar em sono
profundo, pra não ser jogado na lama feito porco
imundo, se não vai vai pro fim do mundo vê se carrega
o coração deixa engatilhado, quando o céu desabar
esteja preparado.
E quando isso acontecer não vai olhar pra tráz siga em
frente ao bem.
Refrão: babilônia (4x)
O furacão do sistema vem pra devastar sem ti ti ti sem
blá blá blá, o imperio sobe o morro só pra acionar
falando a língua do povo sem elitizar, de certo ponto
acressivo acressivo, o dialeto do subúrbio eu carrego
comigo,playboizinho diz pra mim que a língua é
desconhecida "caralho, os preto aqui são homicida"
Pá pum pá pá pode acreditar, favela condomineo
Jurupita Jaraguá, assumiu uma missão não ficou no
esquecimento, desde a era de Cristo à lei do
firmamento, o porta voz da favela dá o depoimento,
amor que vence o ódio a paz que vence a guerra, quem
rezou nosso velorio o Império está na Terra vem nos
derrubar,nem satanás conseguiu.
O Império voltou esses preto estão a mil receitando o
remédio para refugiar, longe do pó e do clack pá, hei
mano sai correndo pouco tempo tem, está prestes o fim
Babilônia amém.
Refrão: Babilônia (4x)
Sangue bom, segue so, preste, preste atenção, o rap é
a paz o Império som.
Sai que sai vai você também no último vagão aí do
trem. do Jardim São Paulo à Recanto dos Humildes,
www.ladrão da Vila Matilde, na 9 de Julho a ira é de
ponta, bam bam bam fuma de ponta a ponta, vê se
esquece mano vê se esquece, segura sua loucura ou da
um brek no brek,na Vila Rosina Perus e Pam, vou que
vou na Bandeirantes 23 de van, ei silêncio, psiu
ninguém, cidade zona leste, na Vila Brasil, Babilônia
tô fora, mano vou me jogar, dedo mole que aperta,
foda-se quem vai chorar, plou plou plou, plá, plá,
plá, no fogo do inferno eu não vou queimar
Refrão: Babilônia, Babilônia, Babilônia (Bis)

Gênero da música

Esta música pertence a quais gêneros? Insira ou exclua abaixo aqueles que representam melhor esta versão. Você pode relacionar até 6 gêneros a uma música.

Veja mais Ao Cubo

Rádio do Artista

    Vamos afinar o Música?

    Estamos procurando a batida perfeita, ajude-nos a fazer o Música melhor pra você.

    Participe Agora não